sexta-feira, 24 de outubro de 2014

two lovely songs from two lovely guys


bonfire heart - James Blunt


delicated - Damien Rice

só mais uma - parte 3


- Liza, já preciso ir. Estou com muita dor de cabeça. Desculpem-me todos por ter que ir.

- Ah, sério? - virou-se para ele arqueando as sobrancelhas.

Ele assentiu e falou pesarosamente.

- Sinto muito mesmo, mas ela está forte. Vou acabar ficando de mau humor e não quero estragar o dia.

Liza me olhou com o canto do olho, como se dissesse "mas ela já está fazendo isso", ninguém percebeu. Ela deu um beijo na testa de Otávio e assentiu com um sorriso.

No fim, fomos todos para a parada de ônibus, Liza não queria ficar só comigo e Paulo e nem eu queria ficar só com ele, como um verdadeiro encontro. Nós dois andávamos devagar um pouco atrás. Não pude deixar de perguntar se ele não gostaria de ficar mais um pouco. Ele me olhou surpreso e deu um meio sorriso tristonho depois. Ele olhou para Liza que caminhava de mãos dadas com Otávio.

- Não sei, talvez seja melhor deixarmos para outro dia. Que acha?

Assenti ficando um pouco aliviada e ao mesmo tempo culpada, talvez ele preferisse ficar com a amiga, o que, afinal de contas, era muito bem vindo para mim. Mas mesmo assim tentei fazer minha parte perguntando. Paulo apressou o passo até alcançar os dois e eu o segui. Mantive minha mente ocupada, antes que deixasse-me cair em tristeza. Não saberia explicar o porque, mas aquela semana eu me sentia solitária.

O cheiro da rua estava agradável, assim como o clima, nem nublado nem muito quente. Não pude deixar de inspirar o ar úmido e observar as nuvens que moviam-se lentamente,  desejei que não houvessem tantos prédios impedindo minha visão mais ampla. Sorri para mim mesma com meu pensamento tolo. Acho que no fim eu não me sentia solitária, apenas era. Mas isso nunca havia me atingido.

Os primeiros a se despedirem foram Paulo e Liza, já que moravam próximos pegaram o mesmo ônibus. Ela aparentou beijar Otávio mais por obrigação, se despediu de mim e eles entraram no ônibus

Otávio estava do meu lado, olhando para a rua na esperança de avistar o ônibus certo. Cruzava os braços sobre o peito e batia o pé no chão. Isso me incomodava, ele estava no tédio, claro que estava.

- Esse ônibus não costuma demorar tanto.

Assenti quase imperceptível. Ele me olhou com o canto do olho e disse:

- Quer fazer alguma coisa? Quer ir pra algum lugar?

Ah, sua gentileza é tanto que prefere ficar mais um pouco comigo, mesmo que no tédio, do que me deixar com essa cara fechada. Balancei minha cabeça em negativa, sorri.

- Por que decidiu ir embora? - perguntei sem delongas.

- Percebi que ela estava saindo comigo apenas pra enciumar o Paulo. Não gostei disso, ser usado, então quis ir embora. - ele deu de ombros mas não olhou nos meus olhos.

Assenti devagar, mordendo o lábio inferior e olhando para a calçada a frente. O sol se punha, deixando o céu com cores alaranjadas vibrantes. Eu podia sentir o vento frio do rio e desejei estar de frente a ele, poder apenas observá-lo com suas pequenas ondulações, aquela água turva me ajudava a esvaziar a mente.

- Ela parecia querer muito estar próxima a ti pra estar tentando fazer ciuminhos. Acho que tu estas enganado. - respondi com o mesmo dar de ombros.

Ele permaneceu quieto por alguns minutos, até dizer:

- Talvez, mas não gosto quando... Olha, nosso ônibus, vamos. - acrescentou rápido.

Enquanto ele fazia sinal para o ônibus parar eu mudei de ideia, não queria fazer nada, queria seguir a origem do vento frio que acariciava meu rosto. Queria estar sozinha mas ao mesmo tempo, não, queria que ele fosse comigo sem que eu sequer convidasse. E queria saber o resto daquela frase.

- Na verdade, - comecei um pouco desconcertada, ele virou o rosto para mim - eu não quero ir agora. Acho que vou até a Estação. 

- Vai só? 

Não respondi. O ônibus parou ao seu lado, Ótavio hesitou também, olhou-me preocupado, abaixou os olhos e me deu tchau, subindo os degraus, afastando-se de mim. Percebi que estava prendendo o ar, então soltei-o num suspiro decepcionado. Pus-me a caminhar até a Estação, um ponto turístico da cidade, onde antigamente fora um porto, de frente para a Baía  do Guajará. E como imaginei, o restante da luz solar refletida na água tornara-se apenas bonito. Bonito, mas naquele momento, vazio. 

Coisas que nunca seremos capazes de dizer em voz alta apertam demais a garganta.

domingo, 5 de outubro de 2014

oh, candy candy

     


domingo passado eu dei um presentinho pro niel,
um pote cheio de guloseimas, como dentadura, aro de morango, m&m, minhoquinha, enfim rs.
 eu sei que comemos muito e ainda assim ficou na metade. eu queria dar a ele desde o dia dos namorados, mas resolvi esperar, bom, ele pareceu gostar, é uma boa dica de presente, não é tão caro e é gostoso x; eu ao menos sou alucinada por esse tipo de guloseima.

bom domingo (;

sábado, 4 de outubro de 2014

and my weekend is being alone


meu adorável almoço de quinta-feira <3
Natal, mas não lembro o ano, mas sei que faz bastante tempo, 
eu e minha cara horrível aehaueha
eu lembro o quanto eu odiava essa camisa, me deixava gorda e ela era bem quente.


eu voltei a usar boné, mais pelo sol mesmo, que está bem forte esses dias!
além disso, esse boné foi o que eu usei quando me vesti de Annabeth do PJ,
e quem me emprestou (e depois de um ano acho, ou menos) me deu foi o Niel, então
ele tem um lugar guardadinho em meu <3


minha meladeira e um bolo que se camuflou.
hoje eu senti como é chato fazer um bolo só, eu até me enrolei pra fazer esse,
as partes que quem faz é o Niel, eu me perguntei se estava fazendo certo.
pelo menos saiu comestível :p



e meu coelhinho que odeia quando tiro fotos dele <3 

esse fim de semana é de votação, então Nielton viajou pra Mocajuba 
(eu entendo porque ele escolheu votar lá)
e eu irei passá-lo estudando, ao menos estou tentando estudar.
às vezes enrolo demais e fico no We Heart It kkk mas até que avancei hoje \o/
estou tão feliz com isso (':

bom resto de fim de semana \o

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

ao haru ride, se apaixone também






esse é o novo/já antigo anime que assisti!
terminou de lançar o ultimo episódio semana passada, e estreou agora na temporada de verão.
e é simplesmente lindo.
eu me viciei de uma forma que não viciava em nada faz tempo.
não é aquela história boba e shoujo demais, que a menina é super tímida,
 (apesar de eu estar lendo um mangá agora assim - hibi chouchou)
onde é colocada acima de qualquer coisa. Ela, a principal que se chama Futaba,
erra até bastante, e parece alguém mais real.

Bem, a Futaba ingressou no ensino médio, e o seu primeiro ano já está acabando, mas ela não se apaixonou por ninguém nesse meio tempo, porque até agora ela ainda é apaixonada por um garoto que conheceu há 3 anos atrás, Tanaka Kou, e ele simplesmente sumiu da sua vida, mudando de escola. Mas ela nunca soube o que aconteceu com ele, e ela tem esperanças de um dia encontrá-lo.

Agora ela mudou bastante, tentando reformular sua imagem pessoa, sendo uma menina que no fundo não é, porque cansou de ser invejada pelas garotas, que até mesmo não falavam com ela por terem inveja de sua beleza. Agora ela tenta ser nada feminina, se esforçando pra comer muito e não ser atrativa para os garotos, já que acredita que isso fará com que perca suas amizades.

e então, o garoto que ela ama retorna para a cidade e estuda no mesmo colégio que ela,
 só que pelo visto, ele mudou tanto quanto ela, Futaba então aprende a conhecer o novo Kou,
 e se apaixonar por este novo garoto.

Kou is back, baby!


infelizmente a temporada acabou, e agora o mangá também ainda não lançou um novo capítulo!
acho que o anime termina no mangá 15 no máximo, e tem mais 30 mangás pela frente kkk
que são iguaizinhos ao anime, ou seja, o anime foi super fiel
o mangá é realmente bom, então quem se apaixonar como eu e a Nani pode ler o mangá também XD

aqui algumas imagens para te interessar mais!



aqui segue o trailer, meio ruim mas nea..


 Aqui está o site do anime: ao haru ride no superanimes.
Eu prefiro assistir no animeq mas não achei o índice dos episódios .-.
byebye, bom resto de dia para vocês (: 
e se estiverem no tédio deem uma olhadinha no anime ou mangá.

mine ao haru ride ahr kou Futaba Futaba Yoshioka kou mabuchi yoshioka ahrgif koutaba ao haru ride gif

domingo, 28 de setembro de 2014

Só mais uma - part 2


Pra ser sincera, as horas não avançavam. Meu relógio parecia marcar cinco horas sempre.

- Aceita ir comprar um milkshake comigo? Prometo que não será de Ovomaltine. - disse Otávio. Ele sabia que eu não gostava de Ovomaltine. Nem quando se faz na própria casa, dos que vendem no supermercado, e nem das lojas de fast-food. Não pude deixar de sentir que o comentário foi feito apenas para eu me sentir mais confortável.

- Ah, milkshake! Eu, definitivamente, quero um de chocolate. - intrometeu-se Liza antes mesmo de eu poder responder. - Vou comprar com vocês. Vamos.

- Não. - Otávio deixou escapar, diminuindo o tom enquanto as letras saíam. Liza estreitou os olhos. - É só que é minha chance de ao menos deixá-la menos entediada. Fique ai, voltaremos logo.

Sem esperar ele me chamou com um aceno e o segui, sem olhar para encarar Elizabeth e Paulo que ficavam para trás. Otávio, a minha frente, andava calmamente, como se não se importasse de demorar. Eu o alcancei segundos depois.

- Sabe, você precisa melhorar sua cara. Parece que vai tirar uma submetralhadora a qualquer momento e atirar sem pensar duas vezes. - Ponderei a ideia mentalmente. - Não, não é agradável a ideia. Olha, se você quer ir embora, apenas vá. Não precisa ficar aguentando o que não quer.

- Eu sei, eu sei. - respondi enquanto brincava com uma mecha do meu cabelo. Suspirei, deixando meu ombros recaíram para frente. - Mas vocês parecem estar se divertindo, acho que se eu for, talvez Paulo queira ir também, e não sei se quero ficar sozinha com ele...

- Liza e Paulo estão se divertindo. Nós dois não. Dois milkshakes médio de chocolate por favor.  - disse Otávio retirando dinheiro do bolso para pagar. Olhei para ele, um pouco assustada. Ele aparentava estar se divertindo. E aparentava gostar de Liza também, esse pensamento fez meu coração apertar. - O que foi? Está com medo de que em relação a Paulo?

- Nada. - respondi baixo. - Por que tu estás dizendo que não está se divertindo? Pela sua cara eu juraria que está. - sorri maliciosamente.

- Você é péssima. Principalmente para perceber as coisas. - sorriu ele. 

Eu posso perceber que você não gosta mais de mim.

- E o Paulo não vai fazer nada além de te beijar, como se já não tivesse acontecido. - ele deu de ombros rapidamente.

- Obrigada pelo milkshake. - agradeci tomando o primeiro gole, ignorando o ultimo comentário, porque, na verdade, Paulo ainda não havia me beijado, e nem eu sei se queria.

- Já queres ir embora?

Eu queria e ao mesmo tempo, não. Mesmo que doesse meu peito, eu queria estar perto dele. 

- Tentarei me enturmar mais. - respondi esperançosa para que realmente acontecesse. Ele riu da expressão que fiz e voltamos para nossos assentos.

Mas realmente não passaria de esperanças. Nos primeiros momentos eu estava bem energética, até Liza perceber quem foi o causador disso, voltando a se apoiar e tocar o tempo todo em Otávio. Até mesmo beijá-lo e logo depois me olhar de relance, como se isso marcasse algum território. Desviei o olhar, tentando esconder o meu incomodo exaltado. Ela sabia que ele tinha realmente conseguido me deixar melhor e não gostou. Excluiu-me totalmente da conversa, até eu desistir de tentar. Paulo, felizmente, notou, mas não foi de tanta ajuda já que sempre que conseguia me encaixar em algum assunto ou falar apenas comigo, ela implorava pela sua atenção. Olhei para Otávio e revirei os olhos, apoiei novamente meu queixo nas mãos, um pouco enfurecida. Ela mudou da água para o vinho quando sentiu-se um pouquinho ameaçada.

Vi que, enquanto Liza roubava a atenção de Paulo de mim, Otávio retirou o celular do bolso e mexeu nele por uns segundos, escondeu-o na mão e me encarou. O celular no meu bolso vibrou e eu o peguei abaixo da mesa, onde não veriam.

"Vamos embora, já cansei." era tudo o que dizia na mensagem.


segunda-feira, 22 de setembro de 2014

weeks


esses são os novos cachorrinhos da UFPA,
eles ainda são tão novinhos :3
apesar de que já tem uns bem fortinhos 
e uns dois magricelas e pequenos que nem dois ratinhos.


meu tio brincando com o Fapo


e bem, isso era para ser um pitu, um camarão bem grande do Brasil rs,
mas não dá pra ver )':
ah a foto foi tirada no Feivest, a feira de vestibular da UFPA, da qual, eu caloura, 
participei pra falar do curso... vai entender, queria carga horária (;


ah isso é um pão bolo que eu e o Niel fizemos há umas semanas atrás,
e era tão gostoso! no primeiro dia eu comi quente, apesar da mamãe sempre me dizer que dá dor de barriga, eu comi. E sim, deu dor de barriga, então achei ele ruim kkk mas no outro dia me arrisquei e comi novamente, e é definitivamente gostoso. 
Ainda mais com requeijão!

Boa semana leitores (:

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

só mais uma.


oi, bom dia (: 

esse é um conto que estou escrevendo, comecei ontem e não tenho ideia de como terminará, 
quem quiser enviar ideias, estou aceitando (:
sei que está ruim, até porque comecei ontem e não parei pra ajeitá-la, quis deixá-la crua mesmo.
até mais \o

*****

E ali, bem na minha frente, estava o rapaz que eu amava, bem ao seu lado, com um grande sorriso no rosto, estava Elizabeth, uma garota magra avantajada, com cílios longos e com bastante rímel, os cabelos castanhos alisados e usava um vestido rosa sem mangas. Do outro lado da mesa estava Paulo e eu. Paulo era um rapaz alto de cabelos loiros e com sardas nas bochechas. Liza era sua melhor amiga, que pediu para eles saírem em casal, ela e seu mais novo ficante. Como Paulo estava tentando arduamente ter alguma chance comigo, eu cedi. Nossa, nunca me arrependerei tanto quanto este dia.
Paulo tagarelava com Liza, e eu mantive meu queixo apoiado na mão, sem prestar muita atenção ao que conversavam, preferi observar as pessoas ao redor da praça de alimentação. Sempre foi uma mania, observar as pessoas quando estas não estão vendo. Elas estão sempre focadas no que fazem que esquecem de olhar o redor. Até que escutei meu nome.

- Ah, Jenny é assim mesmo, distraída como sempre. - respondeu Paulo sem conseguir esconder a amargura na voz.

- Então não temos que nos preocupar se ela está no tédio, não é? - perguntou Elizabeth, apoiando o braço no ombro de Otávio (?). Observei calada enquanto eu era o centro da conversa. Percebi então que Otávio olhava-me atentamente, com seus penetrantes olhos verde escuros, como se nenhuma luz fosse capaz de atravessá-lo. Eu o conhecia a praticamente 4 anos, mas naquele dia, fingi como se tivesse o conhecido pela primeira vez. O choque foi tão grande que não soube como agir, quando Liza nos apresentou só pude dizer "Prazer em conhecê-lo", e ele com um meio sorriso, manteve minha mentira, aparentemente mais confortável com a ideia.

Por um tempo daquela tarde eu consegui sorrir. Até sentir meu estõmago revirar e meu coração doer de tanto Liza se esfregar nele. Então resolvi ignorar tudo e escapar da realidade. Mas naquele momento em que captei seu olhar eu senti tanto o meu desconforto quanto o dele. Parecia querer me dizer palavras que a boca não conseguia soltar. Desviei o olhar e respirei fundo, sorrindo de alguma brincadeira que Liza tirava sobre mim.

- Então Otávio, se ela parecer estranha - disse ela - não ligue. Nós conhecemos ela, e é bem normal mesmo.

- Ela estar com cara de quem vai vomitar é normal? Não sabia dessa. - ele deixou escapar.

- Eu não estou com nenhuma cara. - respondi indignada e surpresa.

- Realmente, só estava pensando em quando devia levá-la ao banheiro para não ser aqui, na frente de todos. - ele se curvou sobre a mesa, aproximando-se de mim. 

Revirei os olhos e ele sentou-se novamente escondendo o sorriso. Quando Liza se apoiou novamente nele, o sorriso se desfez. Naquele pequeno momento em que sua voz foi direcionada a mim, senti as angústias serem afastadas. Entenda, nós nunca estivemos juntos, namorando ou se beijando, o máximo que tive foram abraços apertados e raros, porque mantemos uma distância mais que aceitável do outro. Por quê? Não me pergunte isso, porque a resposta é inaceitável. Ajo como uma criança precisando de um empurrão para agir. E ele, a mesma coisa. Até nossos caminhos nos separarem, e perdermos a chance de ficarmos juntos. E olhe onde chegamos, em um encontro de casal. Com os pares trocados. 

sábado, 6 de setembro de 2014

more one


visível que foi feita no paint kk
desenhei primeiro no papel, mas só tenho papel de caderno,então arrisquei fazer no noot,
infelizmente não saiu como eu queria kkk
tentei baixar aqueles programas pra desenho, mas não consigo com o mouse,
 parece que treme tudo rs.
devia ter só suavizado essa linha negra do controle, e o cabelo dela não era para ser assim )':

acontece,
boa tarde (:


pronto, melhorada :D